ANÁLISE POLÍTICA DA POSSIBILIDADE DE UMA REFORMA IMIGRATÓRIA NOS ESTADOS UNIDOS.

Olá amigo Imigrante, nós temos defendido constantemente que uma Reforma Imigratória ajudará muito a economia americana e inclusive aumentando a arrecadação e melhorando a vida de muita gente. Mas não é tão simples assim… O Presidente George Bush já queria a Reforma, mas não apresentou proposta formal. Já com o Presidente Obama uma proposta foi apresentada e aprovada no Senado, mas não foi votada pelos Deputados, aliás, os políticos vêm bloqueando sistematicamente as principais propostas do Presidente até agora. O Congresso ganhou a fama de “Congresso que não faz nada”, justamente porque somente age quando existe uma CRISE, quando se sente forçado pela opinião pública a garantir um mínimo de governabilidade, aí vota um paliativo, evitando os debates mais profundos. Como é o caso agora em que o Congresso, ao invés de debater a Reforma, irá apenas se reunir para aprovar uma verba paliativa para tornar mais segura – fechar a fronteira com o México – recentemente invadida por crianças Imigrantes da Guatemala e El Salvador, o que irá agradar eleitores conservadores e evitando discutir a proposta de Reforma Imigratória. Por outro lado, o voto dos latinos tem sido decisivo a favor dos Democratas até as eleições passadas. Mas os Latinos andam descontentes com o descaso político de ambos os partidos sobre o assunto. Por isso o plano Republicano tem sido anular esta força e estimular ainda mais este descontentamento culpando o Presidente Obama pela não aprovação da Reforma Imigratória até agora, por não negociar com o Congresso e alegando que o Presidente não é confiável para proteger a fronteira.

Quero lembrar aqui, que no final de seu primeiro mandato, Obama, conseguiu no último minuto driblar o bloqueio do Congresso e no apagar das luzes, agiu por decréto, ou seja por conta própria, legalizando mais de 1 milhão de estudantes Imigrantes indocumentados e foi reeleito com a força do voto latino obtida somente no finalzinho de seu mandato. Será que ele poderia fazer isso novamente no final desse seu segundo mandato, decretando por exemplo uma Anistia por conta própria, mesmo estando com baixo índice de popularidade? Penso que sim, pois o Presidente tem agido através de decrétos e tem declarado, que não é candidato e que usará a sua caneta, sempre que o Congresso não fizer o seu trabalho. Lembro que Anistia é prerrogativa do Presidente, não do Congresso.

E os Parlamentares Republicanos, como não votaram a Reforma Imigratória até agora, estão preocupados com suas próprias reeleições em alguns meses e tentam a todo o custo evitar um novo decréto impactante do Presidente, pouco antes das eleições de novembro, o que poderia revigorar os votos dos latinos para os Democratas e definir um novo Congresso renovado a favor do Presidente. Para tanto, acusam Obama de estar agindo como um Imperador através de decrétos, sendo que o Parlamentar John Boener, Presidente da Câmara dos Deputados, comunicou que está pensando em processar Obama por ter agido sem consultar o Congresso e Sara Palin, mais incisiva ainda, opinou pelo possível Impeachment de Obama, causando uma pressão contra possíveis novos decrétos unilaterais do Presidente. Isso pode segurar Obama até essas eleições de Novembro? Sim, teoricamente pode. Mas essa é uma ameaça apenas temporária, pois se após as eleições, o novo Congresso, não vier a aprovar a Reforma em 2015 e não o fizer até o final do mandato de Obama em 2016, nada poderá impedir que o Presidente, deixe chegar bem no finzinho de seu mandato para usar mais uma vez a sua caneta e decretar por contra própria a tão sonhada Anistia para todos os imigrantes, pois já seria muito tarde para ser empeachimado. Assim o primeiro afrodescente a assumir a Presidência dos Estados Unidos, deixaria um legado final repleto de votos latinos para Hillary Clinton, a provável primeira mulher a ser tornar Presidente.

E se o Congresso quiser evitar essa linda história de líderes inusitados e de minorias no poder, só mesmo se o Congresso votar a Reforma nos próximos dois anos e dividir os louros da fama irmamente entre Republicanos e Democratas, evitando a caneta do Presidente. De uma forma ou de outra se aproxima o momento de uma decisão.

Resta-nos apenas iniciar nossa contagem regressiva. Vamos ficar de olho. Os próximos dois anos serão decisivos para os Imigrantes. E estaremos aqui acompanhando tudinho de perto.

Juliano Braga para o Jornal dos Imigrantes – OPINIÃO.

Editor Chefe.
 

Share This Post